sábado, 17 de junho de 2017

Setor naval brasileiro e a guerra na arena capitalista


Coletivo Espaço Marxista
junho de 2017

Em meados de 2014 a indústria naval brasileira começou a apresentar sintomas de deterioração. As primeiras demissões em massa começaram a acontecer no segundo semestre do ano e se incorporaram com um volume significativo à estatística nacional de desempregados.

Diversos estaleiros da costa brasileira passaram a diminuir sua força de trabalho vertiginosamente até chegarem ao nível crítico de fecharem suas portas temporariamente, na tentativa de se manter hibernados até que a crise instaurada no Brasil passasse e os investimentos bilionários da Petrobrás voltassem para as empreiteiras brasileiras, mas não foi o que aconteceu.

domingo, 11 de junho de 2017

Comentários sobre o 6º Congresso do PT


Coletivo Espaço Marxista
junho de 2017

O PT realizou há pouco seu 6º Congresso Nacional, consagrando a senadora Gleisi Hoffmann como a primeira presidenta da sigla. O discurso de Lula, na abertura, como esperado foi na linha do tradicional caráter conciliador do partido (daí o tom bonapartista de seu governo, isto é, de árbitro das classes em disputa): se por um lado defendeu a política externa petista na construção da multipolaridade mundial, bateu nas Organizações Globo, falou em defesa de índios, quilombolas, mulheres e LGBTs, e mesmo se referiu aos adversários como "inimigos de classe", por outro lado sequer citou o "fora Temer" ou a convocação para novas eleições gerais -ao contrário, falou no partido voltando a governar a partir de 2018, isto é, deu como fato consumado a conclusão do mandato de Michel Temer- e chamou os empresários para conversar, afirmando que "não queremos acabar com eles, mas sim que não acabem com a gente"(!).

segunda-feira, 5 de junho de 2017

A educação no Rio Grande do Sul sob ataque


Publicamos a seguir uma entrevista concedida a nós pela companheira "Mariana Silva", militante do CPERS- Sindicato dos Professores e Trabalhadores da Educação do Rio Grande do Sul. Fala da situação da categoria, da luta contra os ataques neoliberais do governo Sartori (PMDB) e as reformas do governo Temer.

Coletivo Espaço Marxista: De qual sindicato faz parte? É filiada?

Mariana Silva: Filiada ao CPERS/ Sindicato, atuando há 23 anos na categoria.

CEM: Qual a situação dá tua categoria hoje no RS?

MS: Situação muito difícil com o tratamento de descaso do atual governo. A categoria sente-se desmotivada com o arrocho e parcelamento do salário, bem como com o sucateamento da rede. Prevê e já sente as consequências negativas da implantação da privatização, com o fechamento de escolas, de turmas, falta de concurso, menos nomeações, mais contratos temporários, aumento da carga horária de trabalho, falta de investimento e políticas de formação.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Aumento previdenciário é outra covardia contra os servidores do RJ


Reproduzimos abaixo a nota do SEPE (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ), contra a medida do governador Pezão (PMDB) que aumenta a contribuição previdenciária dos servidores estaduais. Está claro e evidente que a crise que se instalou no Rio de Janeiro não tem relação direta com os gastos com o funcionalismo e não podemos aceitar que nos mandem pagar a conta por incompetência da administração, isenções de tributos e corrupção praticadas por membros do governo. Aumentar a alíquota do desconto quando não se tem reajustes em anos e quando se discute o não repasse de verbas para investimentos em educação é levar os trabalhadores a perdas no seu poder de subsistência. O SEPE alertando que a luta continua, vai buscar juridicamente soluções que nos livrem de mais essa maldade, já que o governo federal também se empenha em aprovar maldades que não atingem somente os funcionários públicos, mas sim todos os trabalhadores.

SEPE INGRESSARÁ NA JUSTIÇA CONTRA O AUMENTO PREVIDENCIÁRIO DOS SERVIDORES ESTADUAIS DE 11% PARA 14%

O Sepe repudia a forma como foi aprovado o aumento previdenciário na última quarta (24/05). Como já havia se manifestado diversas vezes, esse desconto coloca a conta da crise unicamente nas costas dos servidores.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

A lição que a esquerda moralista ainda não aprendeu


O texto abaixo vem na sucessão do depoimento de Lula a Sérgio Moro, no âmbito da inquisitorial "Lava Jato". O Coletivo Espaço Marxista, no geral, compartilha da mesma opinião do articulista.

Vamos aos fatos

Mário Medina
Tendência Revolucionária (PSOL)

Não adianta tentar pegar o Lula em contradição, dar mandado de condução coercitiva, enfim, todo esse jogo de cena. Isso só serve pra espetacularização da mídia golpista. Se não tem provas, não tem ilícito. Qualquer Zé Mané sabe disso.

Agora, e isso é pertinente apontar, pra Sérgio Moro isso não é problema. O Congresso Nacional votou um impeachment sem crime de responsabilidade; quer maior desconsideração da lei e do direito que essa?!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...